Resenha: A menina submersa – memórias

“Um livro diferente do que você espera e melhor do que você imagina”

A menina submersa- memórias, escrito pela autora Caitlín R. Kiernan e lançado aqui pela DarkSide Books em 2015, é perfeito na minha concepção de livro que te suga pra dentro dele, são 320 páginas perfeitas, mas como nem tudo na vida são flores este é um daqueles livros que é 8 ou 80, você ama ou odeia, mais estou aqui hoje pra tentar mudar a visão de quem talvez odiou por não entender.


Esse livro nos conta a história da Imp, como ela gosta de ser chamada, ou Índia Morgan Phelps, como o próprio nome do livro nos diz, ele é contado em 1ª pessoa, são memórias, então vemos o mundo pelos olhos da  própria Imp. Aqui não existe uma única versão da história, nossa personagem principal logo no começo nos conta que sofre de esquizofrenia e que outras pessoas da família dela passaram pelo mesmo, cada uma ao seu jeito e o que aquilo deixou pra ela como visão do seu próprio problema.

Falar desse livro sem dar spoilers e tentar fazer com quem não entendeu reflita e talvez mude de opinião, ou quem ainda não leu se anime a fazê-lo é meio complicado, mais vamos tentar...



Como já disse antes são três versões da mesma história narradas todas pela Imp, uma durante um período em que sua condição ( a esquizofrenia) está contida, e nessa  parte percebemos como uma coisa que acontece que pra quem não sofre da doença é banal pra alguém com ela pode desencadear um outro mundo literalmente e aquela pessoa se perde sem nem ela mesma perceber isso. 

A segunda versão que particularmente foi a que mais me chamou a atenção é a versão narrada durante a crise esquizofrênica, nada é muito certo, o mundo é outro e temos uma visão mais dark e com uma pitada de “ realismo mágico” ( porque pra ela aquilo é real), já na terceira e última versão vemos ela tentando entender o que ela realmente viveu e o que a mente dela criou e tentando concertar o que deu errado no meio disso tudo, vale lembrar que a forma com que o livro termina, ou seja ela voltando aos eixos por assim dizer foi uma forma muito sensível da autora, que ao tratar de um tema tão pesado que muitos sofrem que é essa doença sempre teve o cuidado de ser respeitosa e nos mostrar que também devemos ser cuidados e respeitosos e entender, que aquilo pode acontecer com qualquer um e que nada é tão fácil como é pra quem vê de fora, então te jogar no meio dessa história abre seus olhos e seus pensamentos.

Bom é isso pra quem já leu e não gostou dê uma segunda chance, pra quem ainda não leu esteja ciente de que você jamais será o mesmo após lê-la e de um jeito bom.

É legal falar aqui que existem duas versões desse livro ambas são iguais e ambas pela darkside , a diferença é só na capa, uma é brochura comum, e a outra é edição de luxo, capa dura, toda com relevos, borda rosa, tem aquela fitinha de marcar por dentro que já estamos acostumados a ver nas versões da darkside, é linda, pra quem ama enfeitar a estante recomento essa versão, apesar de ambas serem a mesma história. 

Muitas vezes aquilo que a gente não entende não nos agrada e esse livro é chance perfeita pra você entender um outro modo de ver o Munndo...
Livro foram feitos para divertir mais também pra ensinar e pra isso que este esta aqui ... ninguém disse que será fácil entender mais pra quem tiver a coragem de tentar é um livro pra vida toda.   


6 comentários:

  1. com certeza vou ler este livro.capa muito linda e pelos teus comentarios vai se uma leitura muito boa....

    ResponderExcluir
  2. Oi Prii, eu conheço o livro, aliás, ambas as versões, mas não tive oportunidade de ler nenhuma. Claro que cada um encara e sente leitura de uma forma, e pelo visto, Menina Submersa mostra bem isso né?
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi ^^ então esse é um daqueles livros que vc tem q ta no momento pra ler ou então vai se perder na historia mais é um ótimo livro e essas edições são lindas

      Excluir
  3. PriiH menina que texto fantástico, fazia tempo que não lia algo que prendesse tanto muita atenção. Já tinha lido outras resenhas desse livro mas em nenhuma fiquei curiosa sobre essa questão da esquizofrenia ... Além disso não sabi que o enredo era composto de três versões contadas em fases diferentes vividas pela personagem. Gostei também de saber que a autora teve sensibilidade para escrever sobre algo 'pesado' é tenso como essa doença. Enfim dica mais que anotada, quem sabe leia ainda esse ano. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada Aline, e se ler me conta espero que goste desse livro tanto quanto eu ^^ bjim

      Excluir