• Início
  • Resenhas
  • Críticas
  • Autores Parceiros
  • Vídeos
  • Contato
  • Crítica: Mulher Maravilha (2017)

    "Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que o Deus Ares está por trás disso e que pode parar esta guerra com sua morte. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra."

    Finalmente um filme de super herói protagonizado por uma mulher. O último filme que tivemos foi Elektra em 2005, que não é lá muito bom, e também é pouco conhecido. Depois da série de 1975 protagonizada por Lynda Carter, houveram vários projetos para adaptações cinematográficas da Mulher Maravilha mas que nunca saíram do papel, e em 2017 finalmente chega as telas uma das maiores heroínas dos quadrinhos, símbolo feminista e extremamente importante para o empoderamento feminino nos cinemas.

    Tivemos a primeira aparição da heroína no filme Batman V Superman no ano passado, que se passa nos dias atuais e apresente um mulher maravilha experiente, conhecedora do mundo dos homens, mas que preferiu ficar reclusa em meio aos mortais. Já nesse filme, contado na forma de um enorme flashback, temos uma Diana inocente, ainda descobrindo o mundo e seus próprios poderes.

    Dear White People - 1ª Temporada

    "As mais refinadas faculdades americanas podem representar uma enorme carga de estresss para seus alunos. Tensões sociais, a pressão acadêmica e o medo que vem com a chegada à idade adulta podem ser aterrorizantes. Pior que isso, só se você for um afro-americano, tendo que lidar com os alunos majoritariamente brancos e os estigmas associados a você pela sociedade. "




    Resenha: Meia-noite e Vinte


    Em meio a uma onda de calor devastadora e a uma greve de ônibus que paralisa a cidade, três amigos se reencontram em Porto Alegre. No final dos anos 1990, eles haviam incendiado a internet com o Orangotango, um fanzine digital que se tornou cultuado em todo o Brasil. Agora, quase duas décadas depois, a morte do quarto integrante do grupo vai reaproximar Aurora, cientista e pesquisadora vivendo uma pequena guerra acadêmica, Antero, artista de vanguarda convertido em publicitário, e Emiliano, jornalista que tem uma difícil tarefa pela frente. Captando com maestria a geração que cresceu em meio ao início da internet, Galera explora essas vidas acuadas entre promessas não cumpridas e anseios apocalípticos. Nas vozes de Aurora, Antero e Emiliano, ''Meia-noite e vinte'' é um retrato marcante de uma juventude que recebeu um mundo despedaçado e para quem o futuro pode não significar mais nada.

    Olá, galerinha. A resenha de hoje é sobre este título tão peculiar chamado meia-noite e vinte, este livro desde o começo não me empolgou muito, mas mesmo assim segui em frente com a leitura.

    A história começa com Aurora relatando como foi receber a notícia de que um grande amigo que já não era mais tão chegado assim, havia falecido. Eles eram quatro amigos, que juntos criaram uma fanzine chamada Orangotango, um site que bombou a internet no começo dos anos noventa, mas agora, após uma década eles se reencontram no enterro de Duque, um de seus integrantes mais ilustres, escritor idolatrado por muitos fãs que foi brutalmente assassinado por ter reagido a um assalto.

    Esse encontro os une de novo e durante um café relembram os velhos tempos, até que uma ligação muda o rumo das coisas, quando Emiliano é convidado a escrever uma biografia sobre Duque (Andrei), a proposta o perturba e o faz lembrar de fatos que nem mesmo Aurora e Antero sabem ou desconfiam. Agora ele tem que escolher, encarar as lembranças ou enterrá-las para sempre.

    Crítica: Feud - Bette & Joan


    "Joan Crawford (Jessica Lange) e Bette Davis (Susan Sarandon) são dois nomes muito conhecidos, não somente por suas carreiras nas telonas, mas também pela lendária rivalidade que existe entre elas. Desavenças à parte, as duas resolveram se unir em 1962 para estrelar em um filme, que mais tarde seria aclamado pelas críticas. A tensão entre as duas, no entanto, é só um exemplo do que há nos bastidores. O mundo dos famosos é ainda mais agitado."

    Feud é a mais nova antologia criada por Ryan Murphy, famoso pela criação de outras séries como American Horror Story, Glee, Scream Queens, e mais recentemente American Crime Story.

    Ryan Murphy pretende retratar "tretas" entre pessoas famosas ao longo das temporadas. Em sua primeira temporada, a história retratada é a famosa tensão entre as atrizes Bette Davis e Joan Crawford.

    O primeiro fato interessante desta história é que ela não existe com a intenção de inocentar uma delas ou condenar outra. Os fatos são apresentados de uma maneira essencialmente imparcial e as duas personagens são acima de tudo muito humanas.

    Resenha: Despedida de Solteira (Amande)



    Amande estava com tudo pronto para o seu casamento: buffet completo, salão de festa, garçons, fotógrafos, igreja, iluminação, filmagem, cerimonial, decoração, convites, vestido, maquiagem, depilação... Ela tinha absolutamente tudo sob controle. Ou melhor, quase tudo...
    Sequer havia cogitado uma despedida de solteira!
    Guiadas pelas suas amigas - e madrinhas -, Amande descobrirá que nem tudo acontece como o planejado.




    Para quem ainda não sabe, eu sou apaixonada na escrita da Mila, ela com certeza é uma das minhas autoras favoritas. O primeiro contato que tive com a escrita dela foi quando ela postava O Safado do 105 no Wattpad, desde então eu venho acompanhando a autora e tudo que ela lança entra para a minha listinha de desejados, e vocês não imaginam o quanto eu fiquei feliz quando recebi o Despedida de Solteira como cortesia da editora Qualis.

    No livro nos conhecemos a Amande, uma mulher de 27 anos que é toda certinha, ela tem a vida toda sob controle e não gosta de imprevistos ou surpresas. Ela está de casamento marcado com João Pedro, seu namorado desde quando ela era jovem, e por mais que o relacionamento deles seja um pouco distante, já tenha caído na rotina e as amigas não concordem com o casamento, Amande está decidida ir até o fim.